segunda-feira, 28 de junho de 2010

DOÇURA DE ÓRFÃ


. Essa encantadora menina de nove anos de idade. É doce, meiga, simpática, super legal e cativante. Essa órfã é uma das alegrias dos voluntários homens e mulheres, além de ser dos funcionários e funcionárias da casa. Essa garotinha se aproxima dos voluntários e, impossível não dar atenção a uma criança tão doce e comunicativa. Qualquer adulto, pelo menos os que gostam de cuidar de criança, gostaria de tê-la como filha, ou pelo menos afilhada. Porque é uma criança tão doce e carinhosa, e que gosta de conversar. Quem já é pai e mãe, gostaria de tê-la como irmã de seus filhos.

. Um dia, ela é adotada por um casal. Eles amam a menina como se fosse fruto do relacionamento. Coisa que é difícil, uma criança maior ser adotada. Nesse caso, o pai e a mãe adotiva se encantaram com a criança e vice-versa. Quando conseguiram a adoção, foi o melhor dia de suas vidas. É uma criança que não dá “trabalho”. O pai ou a mãe dá bronca quando a menina não se comporta. Mas é uma atitude de amor. E a guria faz questão de se corrigir.

. Não se pode negar o fato de que, esse casal foi abençoado por Deus. Aliás, essa menina é um presente de Deus. Adotaram uma criança que, todos os voluntários gostariam de adotar, ou pelo menos manter contato de qualquer forma. Pois a criança é cativante.

. Um dia, a encantadora criança encontra uma mulher que já foi voluntária daquele abrigo. As duas ficam super felizes por se reencontrarem. A ex-voluntária não tem mais tempo pra ir ao orfanato, por causa de sua profissão. Mas, já que se reencontraram, o afeto entre as duas permanece firme. Essa mulher sempre foi super legal e carinhosa com aqueles guris, inclusive com a menina. Esta apresenta uma daqueles voluntários, e grande amiga adulta a seus pais adotivos. A ex-voluntária consegue até passear junto com a menina e sua nova família.

. Essa mulher que frequentava o abrigo, deseja manter contato com a criança várias vezes. Pois a presença dessa menina é super agradável. Mas, as duas têm fé. A mulher também era um encanto de voluntária. Pra menina, ela ainda é esse encanto.

. Um homem continua freqüentando o abrigo. É voluntário. Uma benção para as crianças. Ele e a menina se reencontram e ficam felizes. O cara sempre gostou da guria.

. A amizade dessa menina de 9 anos é totalmente irresistível. Os amigos e amigas dos pais adotivos já gostam dela. Se esses gostam, imagina os voluntários e funcionários daquele abrigo.

. A mulher que a adotou, faz uma tatuagem em seu pé descalço direito, com o nome da menina. O homem que a adotou, tatua o nome dela eu seu antebraço direito. Esta vê e se encanta ainda mais com seus novos pais.